"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

segunda-feira, junho 07, 2010

Sword of the Stranger/Sutorenjia: Mukô hadan - ストレンヂア無皇刃譚 (2007)

Capa

Origem: Japão

Duração aproximada: 103 minutos

Realizador: Masahiro Ando

Vozes das personagens principais (versão original – japonesa): Tomoya Nagase (Sem Nome-Nanashi), Yuuri Chinen (Kotarou), Kôichi Yamadera (Luo Lang-Rarou), Akio Ohtsuka (Shougen Itadori), Naoto Takenaka (Shoan), Unshou Ishizuka (Lord Akaike)

Samurai

Nanashi, o samurai”

Sinopse

No Japão feudal, mais propriamente na era Sengoku, “Kotarou”, um jovem rapaz, vê-se perseguido por um bando de temíveis guerreiros chineses, que servem o imperador Ming. Acompanhado do seu fiel companheiro, o cão “Tobimaru”, “Kotarou” acaba por se deparar com um samurai errante, que não possui nome. Embora exista um antagonismo inicial, “Kotarou” é obrigado a contratar o combatente, após “Tobimaru” ser ferido numa refrega.

Kotarou e Tobimaru

Kotarou e o cão Tobimaru”

Aos poucos, entre “Kotarou” e o guerreiro nasce uma grande amizade. Contudo, a caça ao jovem aumenta por parte dos chineses, que acabam por capturar o fugitivo, tendo em vista usar o seu sangue para criar uma poção que supostamente tem a faculdade de conceder a vida eterna. O samurai parte numa busca para salvar o seu amigo, e de forma a salvar a vida do jovem, terá de defrontar o líder dos servidores do imperador Ming e o adversário mais fabuloso com que se deparou, o temível Luo Lang, também conhecido por Rarou.

Rarou Vs. Samurai 2

O samurai defronta Luo Lang Aka Rarou”

“Review”

Não sendo dos animes mais conhecidos do Japão, nem por este motivo “Sword of the Stranger” deixou de figurar em muitos festivais internacionais dedicados ao cinema de animação e não só, tendo mesmo sido exibido em algumas salas norte-americanas. Mas o que efectivamente poderá pontificar mais a favor de “Sword of the Stranger”, neste particular, foi o facto de ter sido a proposta nipónica para a 81ª edição dos Óscares da Academia de Hollywood, cerimónia que ocorreu em 2009, não tendo contudo logrado chegar ao grupo dos três finalistas. O prémio para melhor filme de animação viria a ser ganho por “WALL-E”. As críticas em geral são bastante favoráveis a esta longa-metragem de animação, e os fãs dos “chambara” de animação japoneses, na linha de películas como “Ninja Scroll”, ou a série “Basilisk”, nos quais veementemente me incluo, não irão ficar defraudados com “Sword of the Stranger”.

Tratando-se do primeiro e até agora o único filme de animação de Masahiro Ando, o realizador não revela a sua inexperiência no meio e consegue dar vida a um produto de qualidade, onde existe uma combinação feliz de efeitos visuais e momentos de acção fabulosos, embora eivados de grande violência. Os aspectos típicos do “chambara” estão muito bem personificados, com a típica personagem do herói solitário, com um passado tenebroso, mas dotado de uma honra e bondade a toda a prova, a ser muito bem enquadrada na trama. Outro factor, que não é tão comum mas que confere um interesse acrescido a esta película, são os vilões da história. Como se depreende da sinopse, os mesmos são chineses e inclusive a maior parte dos seus diálogos são em mandarim, dialecto que convive com o japonês ao longo de todo o tempo que dura “Sword of the Stranger”. Em virtude deste facto, é-nos apresentado um choque cultural premente, que dá azo a confrontos excitantes, entre estilos de combate opostos, mas igualmente mortíferos. Porventura, e aqui estaremos no campo da pura conjectura, poderá existir algumas mensagens implícitas, tal como o facto de o poderio económico chinês estar a crescer de dia para dia, em detrimento de alguma estagnação da economia e influência nipónica naquela zona do continente asiático.

Kotarou e o samurai

Kotarou e o samurai”

Outra premissa que reveste bastante interesse, passa por duas das personagens principais, a saber, o samurai sem nome e o seu oponente Luo Lang, serem na realidade ocidentais. O samurai, que desconhece o seu passado, pinta de negro, o seu cabelo de cor natural ruiva, de forma a não chamar as atenções de terceiros para si. Por outra via, Luo Lang é na realidade um gigante de aparência germânica, louro e com olhos azuis, aspecto que contribui ainda mais para o medo que causa, e que faz com que os autóctones o chamem sugestivamente de “demónio”. Poderá aqui estar implícita a abertura da sociedade asiática ao imperialismo ocidental, aspecto que efectivamente sucedeu à altura? Ou será apenas uma maneira inocente de enriquecer a trama, ou torná-la mais original?

Os heróis da história provocam uma empatia quase imediata com o espectador, embora se reconheça que os conceitos subjacentes não são tão originais quanto isso. Temos um guerreiro samurai, que é perseguido por fantasmas do passado, revelando-se o mesmo obscuro em grande parte da sua vida. Por um acaso, este cruza-se com um jovem rapaz irrequieto, que possui uma missão determinante, que nem mesmo o próprio tem a real noção da importância e do tenebroso que se esconde por detrás da demanda. Resta o sempre simpático e corajoso animal, o cão “Tobimaru” que personifica a lealdade máxima para com os seus amigos.

Com uma dinâmica extremamente apreciável, “Sword of the Stranger” configura-se como um filme obrigatório para todos aqueles que amam o “chambara”, e que ainda o valorizam mais quando o mesmo é transposto para a animação. Possui momentos de acção de tirar a respiração, personagens emblemáticas e um enquadramento histórico apelativo. A animação poderá não ser o top, mas com certeza não irá defraudar, nem causar desilusões de relevo. Tem as potencialidades todas para ser um filme de massas, sem estar dotado de redundância ou superficialidade. Tendo sido uma agradável surpresa, resta-me recomendar vivamente este “Sword of the Stranger”, mais um bom produto do “anime” japonês.

Paisagem

“O samurai e Tobimaru miram o reduto dos guerreiros Ming”

imdb 7.8 em 10 (1.345 votos) em 07/06/2010

Outras críticas em português:

  1. ANIMEHAUS
  2. Anime Portugal

Avaliação:

Entretenimento – 9

Animação – 8

Argumento – 7

Banda-sonora – 8

Emotividade – 9

Mérito artístico – 8

Gosto pessoal do “M.A.M.” – 8

Classificação final: 8,14

 

2 comentários:

Dewonny disse...

Olá Jorge!
Fiquei bem interessado!
Vou baixar esse, tem lá no asian space, obrigado pela dica!
Abs! Diego!

Takeshi disse...

Jorge, recomendo-te "Cowboy Bebop", tanto o longa metragem como o seriado televisivo. Mais um ótimo Anime.