"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

segunda-feira, setembro 06, 2010

Kaminey: The Scoundrels/Kaminey – कमीने (2009)

Capa

Origem: Índia

Duração aproximada: 130 minutos

Realizador: Vishal Bhardwaj

Com: Shahid Kapoor, Priyanka Chopra, Deb Mukherjee, Shivkumar Subramaniam, Chandan Roy Sanial, Tenzing Nima, Hrishikesh Joshi, Amole Gupte, Rajatva Datta, Harish Khanna, Carlos Paca, Eric Santos, Sagar, Samrat, Vijay Raj

Charlie 6

Charlie Sharma”

Sinopse

“Guddu” e “Charlie Sharma” (ambos interpretados por Shahid Kapoor) são dois irmãos gémeos, que detestam-se e não falam um com o outro há 3 anos. “Guddu” prefere levar uma vida honesta, dedicando-se a causas sociais, tais como trabalhar na prevenção da SIDA em Mumbai. Por sua vez, “Charlie” é um delinquente de pouca monta, que ambiciona a progredir rápido na vida, viciando corridas de cavalos.

Guddu 2

Guddu Sharma”

Um dia, a vida de ambos sofre um volte-face inesperado. “Guddu” casa com “Sweety” (Priyanka Chopra), uma mulher que espera um filho seu. Esta atitude, faz com que “Guddu” incorra na ira de “Sunil Bhope” (Amole Gupte), o irmão de “Sweety”, um político e “gangster” perigoso, que almejava casar aquela com o filho de um rico construtor civil. Entretanto, “Charlie” encontra um carregamento valioso de cocaína pertencente a polícias corruptos, e vê aqui uma oportunidade para enriquecer rapidamente, vendendo a droga. No meio da confusão, as vidas dos irmãos cruzam-se novamente e ambos terão de lutar para sair do perigoso jogo em que se meteram.

Sweety 2

Sweety”

Review”

Depois de ter ganho alguma proeminência na cena de “bollywood”, com “Maqbool” e “Omkara”, duas adaptações shakespearianas, o realizador Vishal Bhardwaj deu vida a “Kaminey”, um “thriller”, com uma aura urbana muito forte, onde o submundo de Mumbai e o jogo de sentimentos ditam a lei. Trata-se de uma obra pouco convencional, atendendo ao espectro de onde provém, tendo granjeado mesmo alguns problemas com a certificação da película por parte do comité de censura do cinema indiano, um organismo que não faz sentido nenhum existir num país que se auto intitula como a maior democracia do mundo. Efectivamente, há que reconhecer que “Kaminey” é um desafio ao público indiano, e ao de Mumbai em particular, para pôr de parte certos convencionalismos instalados, e ter uma mente mais aberta no que toca ao visionamento de cinema.

“Kaminey” possui um argumento bastante interessante, que reza a história, foi adquirido a um escritor queniano, por 4 mil dólares. A trama não se atém apenas ao crime e às acções mais movimentadas decorrentes desta premissa. Existe uma exposição de humor bastante subtil, mas perceptível, assim como momentos de pura ironia. Pense-se, a título meramente exemplificativo, no facto de “Guddu” pertencer a uma ONG (Organização Não Governamental), que luta contra a propagação da Sida. Entre as medidas e acções que propõem passa, obviamente, pelo uso do preservativo. Numa noite, “Guddu” deixa-se convencer por “Sweety”, a não usar o contraceptivo e o resultado é a gravidez daquela. Outro exemplo reconduzir-se-á aos defeitos na fala que ambos os irmãos padecem, e que geram alguns momentos de boa disposição.

Sweety defende Guddu

Sweety defende Guddu dos apaniguados do irmão”

Apesar de eu não ser propriamente um fã de Shahid Kapoor, tenho forçosamente de reconhecer que o actor em causa, demonstra aqui certos predicados representativos de aplaudir. Tendo que dar corpo a duas personagens diferentes, com personalidades naturalmente distintas, Kapoor sai-se muito bem e consegue transmitir ao espectador as angústias, problemas e sonhos de ambos os irmãos. O próprio papel, de um ponto de vista físico, viria a ser exigente pois Kapoor teve de trabalhar bastante para ganhar um corpo mais musculado do que tinha. A belíssima Priyanka Chopra, uma antiga miss mundo, consegue ser uma companheira de Kapoor convincente, alternando entre a rapariga imberbe e a mulher forte, que chega a defender o seu amor dos espancamentos dos apaniguados do seu irmão, o gangster “Sunil Bhope”. E por falar do chefe criminoso e xenófobo, proveniente de Mumbai, gostei particularmente da interpretação do actor Amole Gupte, evidenciadora de um sarcasmo e perigosidade bastante premente.

Com uma banda-sonora mediana, e cenas mais fortes do que estamos habituados a ver numa obra de “Bollywood”, “Kaminey” é uma proposta deveras interessante da meca do cinema indiano. Revela algo que o realizador Vishal Bhardwaj já tinha demonstrado em anteriores películas suas, que é uma rebeldia contra o “status quo” institucionalizado na cena de Mumbai. “Kaminey” é polémico quanto baste, e potenciador de agradar até aqueles que não elegem “bollywood” no seu visionamento, ou que desconfiam das suas produções.

A conferir!

Charlie 5

Charlie em perigo”

imdb 7.6 em 10 (3.252 votos) em 6 de Setembro de 2010


Outras críticas em português/espanhol:

  1. Cinema Indiano
  2. El Pozo de Sadako

Avaliação:

Entretenimento – 8

Interpretação – 8

Banda-sonora – 7

Guarda-roupa e adereços – 8

Emotividade – 8

Mérito artístico – 8

Gosto pessoal do “M.A.M.” – 7

Classificação final: 7,63

4 comentários:

barbie-o disse...

Ainda não vi. Até tenho vergonha de dizer :(

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Não é vergonha nenhuma...eu também tenho montes de filmes para ver- E desconfio que algum dia os consiga ver todos, lol!

Ibirá Machado disse...

Eu gosto muito desse filme. Concordo tremendamente com o crédito que deve ser dado ao Shahid Kapoor, que conseguiu finalmente fazer com que eu me curvasse a ele e à sua interpretação dupla. Eu gosto bastante do Vishal Bhardwaj e do trabalho que ele vem fazendo, sobretudo considerando-se que ele não só dirige suas obras, como ainda por cima compõe as músicas. Não é meu filme indiano favorito, mas está na lista dos que mais gosto e recomendo fortemente pra quem quer conhecer o que vem se fazendo de novo no mundo do cinema indiano. :)

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Olá, Ibirá!

Eu também tenho vindo a apreciar o trabalho de Vishal Bhardwaj em Bollywood, por entender que se trata de uma perspectiva refrescante no meio.

Um abraço!