"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

domingo, junho 25, 2006

Ashes of Time/Dung che sai duk (1994)

Origem: Hong Kong

Duração: 99 minutos

Realizador: Wong Kar Wai

Com: Brigitte Lin, Leslie Cheung, Maggie Cheung, Tony Leung Chiu Wai, Jacky Cheung, Tony Leung Ka Fai, Li Bai, Carina Lau, Charlie Yeung

"Hung Chi (Jacky Cheung) luta com um enorme bando de salteadores"

Estória

"Ouyang Feng", também conhecido sob a alcunha de "Malicious West", é um proprietário de uma taberna situada no meio do deserto. Trata-se de um homem morto emocionalmente, devido ao casamento do seu irmão mais velho com a mulher que ama. Vive do seu negócio e da contratação de espadachins necessitados de dinheiro, tendo em vista a perpretação de assassinatos por encomenda.

Estranhas pessoas chegam à taberna, cada qual com a sua estória que normalmente converge para a tragédia pessoal. Podemos acompanhar "Huang Yaoshi", cujo nome de batalha é "Evil East", um dotado homem da espada, cuja atitude cavalheiresca perante o mundo, a vida e o amor, deixaram-lhe um rasto de remorso e recriminação.

"A inesquecível Brigitte Lin no duplo papel de Murong Yin/Murong Yang

"Murong Yang" por seu lado é um jovem em busca de vingança sobre "Evil East", por este ter abandonado a sua irmã "Murong Yin". Esta por sua vez, deseja a morte do irmão, por este andar a tentar matar a sua paixão "Evil East". "Yin" e "Yang" acabam por revelar serem a mesma pessoa, completamente destroçada pela rejeição de "Evil East" e incapaz de encontrar um caminho para a paz interior.

Problemas trágicos são demonstrados por outros elementos da estória, desde o espadachim cego que é contratado para liquidar um bando de salteadores e cujo último desejo antes de falecer é rever o desabrochar das flores de cerejeira (em sentido figurado pois tal serve para designar a esposa) na sua terra-natal, passando pelo assassino de bom coração "Hung Chi" que não gosta de usar sandálias, acabando na jovem e pobre rapariga camponesa que tenta comprar vingança com um cesto de ovos e uma mula.

"O conscencioso espadachim Evil East, interpretado por Tony Leung Ka Fai"

"Review"

Do intrincado conjunto de situações acima relatadas, nasce "Ashes of Time", um "wuxia" nada convencional, mas sem dúvida das maiores obras-primas do género. O aclamado realizador de "Chungking Express" Wong Kar Wai, oferece-nos um épico verdadeiramente filosófico e profundo, onde cada cena revela uma mensagem vivencial impregnada de uma profunda tristeza.

À primeira vista esta película não é de fácil percepção, embora um espectador atento, sensível e interessado acabe por juntar as peças e concluir que está inequivocamente perante um grande feito do cinema. Aconselha-se vivamente um segundo e porventura um terceiro visionamento, atendendo à densidade e complexidade que rodeia o filme.

"Ashes of Time" sai claramente do clássico tipo de longa-metragem "swordplay" típica da época (de que são exemplos "Swordsman II" ou "New Dragon Gate Inn"), para se transformar num vívido drama em que os combates funcionam meramente como acessórios, e que servem quase exclusivamente para complementar a caracterização das personagens.

Aliás as cenas de combate presentes no filme constituem o seu "calcanhar de aquiles", sendo por vezes humanamente impossível para o espectador discernir "quem é quem" e o que está concretamente a fazer. Sammo Hung, o coreógrafo, viria por algumas vezes a expressar o seu desagrado pelo resultado final, assistindo-lhe uma certa razão. No entanto, este aspecto menos bom acaba por ser relegado para segundo plano, e acabamos por nos concentrar na maravilhosa e não forçada narrativa, sendo a mesma igualmente suave e deveras inebriante, à semelhança do movimento das ondas do mar a ondularem numa calma celestial, conforme é demonstrado objectivamente no início da película.

" Malicious West (Leslie Cheung) e a jovem rapariga (Charlie Yeung)"

Esta longa-metragem versa sobretudo sobre as escolhas que fazemos, deixamos de fazer ou simplesmente nos passam ao lado na viagem que é a nossa vida. Opções essas que por vezes nos levam à felicidade, outras à tristeza e num caso extremo à mais insana loucura. Uma simples escolha pode alterar todo o nosso futuro!

Outra mensagem que passa é o papel do tempo na nossa vida, relacionado com as acima aludidas opções vivenciais. O tempo que supostamente cura tudo, aqui é encarado como um aumentar do remorso que sentimos pelas más atitudes que tomámos ao longo do nosso percurso. No fim, o tempo avança sempre, as estações mudam, as pessoas nascem, crescem e morrem, mas as nossas opções permanecem não interessando os longos anos que entretanto passaram.

A banda-sonora faz-me lembrar imensamente a dos "westerns" de Sergio Leone, da autoria do mestre Ennio Morricone. Acompanha muito bem o agonizante martírio das personagens.

É francamente uma enorme pena e uma tremenda injustiça não existir no mercado uma edição em DVD decente à disposição do público. As existentes são de má qualidade, e tornam-se um verdadeiro crime quando estamos perante uma obra desta envergadura. Mesmo assim chegou ao meu conhecimento que a TF1 (abreviatura que serve para denominar a "Television Française") lançou recentemente uma edição sob o título "Les Cendres du Temps", que supostamente é boa. Não opinarei, porque não tenho conhecimento pessoal desta edição.

A ver e a rever com extrema atenção e sobretudo sentir a qualidade e beleza que transpiram em quase todas as cenas!

"Malicious West fita o horizonte em busca de respostas para as suas questões"

Trailer, The Internet Movie Database (IMDb) link

Outras críticas em português/espanhol:

  1. Cinedie Asia,
  2. Pasmos Filtrados
  3. Batto presenta...
  4. Cine Road

Avaliação:

Entretenimento - 7

Interpretação - 10

Argumento - 9

Banda-sonora - 8

Guarda-roupa e adereços - 7

Emotividade - 9

Mérito artístico - 9

Gosto pessoal do "M.A.M." - 9

Classificação final: 8,50










3 comentários:

Battosai disse...

En los últimos días he visto dos de tus preferidas. Anteayer esta y hoy Departures. Pues bueno, como se dice en español, "una de cal y otra de arena". Ashes of Time no me gustó nada de nada. Es muy confusa y no entendía lo que pasaba. Me resultó aburridísima. Departures, al contrario, me ha encantado.

Shinobi disse...

Olá, Battosai!

Reconheço que "Ashes of Time" não é um filme fácil, mas para mim é uma obra incontornável. Adorei o filme!
Muitas vezes julgo que é preciso um segundo visionamento para interiorizarmos melhor a película.

Abraço!

Roberto F. A. Simões disse...

Olha, comprei o DVD da versão Redux, já lançada entre nós. Verei o filme ainda hoje ou amanhã e depois publicarei a crítica. Voltarei por cá para deixar o meu testemunho. Kar Wai é um dos realizadores que ando a descobrir e que emana sempre um fascínio que me intriga.

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema