"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

domingo, fevereiro 08, 2009

O Macaco de Ferro/Iron Monkey/Siu nin Wong Fei Hung ji: Tit Ma Lau -少年黄飞鸿之 (1993)

Origem: Hong Kong

Duração: 86 minutos

Realizador: Yuen Woo Ping

Com: Yu Rong Guang, Donnie Yen, Jean Wang, Yen Shi Kwan, James Wong, Hsiao Hsou, Tsang Sze Man, Sunny Yuen, Li Fai

"Dr. Yang e Orchid"

Sinopse

No fim da dinastia Qing (dinastia manchu), a província de Chekiang (actual Zhejiang) é dominada pelos funcionários corruptos que retiram tudo o que podem à população, enquanto esta definha na pobreza e na miséria. O “Dr. Yang” (Yu Rong Guang) é um médico bondoso e calmo, que possui uma dupla faceta na sua vida. Enquanto que de dia, auxilia os necessitados na cura das suas maleitas, à noite é o temível “Macaco de Ferro”, um fora-da-lei que rouba o governador “Cheng” (James Wong) e os seus sequazes, e oferece o dinheiro aos pobres.

"Wong Kei Ying e o seu filho Wong Fei Hung"

Entretanto chegam à cidade “Wong Kei Ying” (Donnie Yen) e o seu filho, o jovem “Wong Fei Hung” (Tsang Sze Man). Devido à ânsia em apanhar o “Macaco de Ferro”, o governador “Cheng” manda prender todos os cidadãos que remotamente possam ser o herói, e os dois “Wong” são irremediavelmente também detidos. Livres das acusações, mesmo assim os problemas não acabam. O governador impressionado com as incríveis habilidades de “Kei Ying” no domínio das artes marciais, ordena-o que este capture o “Macaco de Ferro”, detendo “Fei Hung” indefinidamente. Tendo em vista salvar o filho, “Kei Ying” não tem remédio senão perseguir o bondoso ladrão. Mas quando “Hiu Hing”, o governador distrital e um monge renegado de Shaolin, chega à cidade e aprisiona tanto “Fei Hung”, como “Orchid” (Jean Wang) a assistente do “Dr. Yang”, “Kei Ying” e “Macaco de Ferro” esquecem as suas divergências e unem-se tendo em vista salvar os seus entes queridos.

"O Macaco de Ferro"

"Review"

“O Macaco de Ferro” consubstancia-se em mais uma história que tem por base uma das personagens mais populares do folclore chinês. Refiro-me obviamente a Wong Fei Hung, uma figura, que como já tive oportunidade de referir em anteriores textos aqui publicados, realmente existiu e serviu de inspiração ou referência a cerca de 100 filmes (poderão consultar uma lista relativamente completa AQUI). Na película que agora se irá analisar, Fei Hung assume um papel mais secundário, embora importante, e a trama foca-se mais nas peripécias do seu pai, Wong Kei Ying, e do Dr. Yang, que personaliza o “Macaco de Ferro”. Contudo, é inquestionável que esta longa-metragem tenta sempre passar a mensagem do futuro grandioso que aguarda o jovem Fei Hung, conferindo-lhe momentos suficientes para que nos apercebamos disso.

No que toca a acção, poucos filmes podem comparar-se a “O Macaco de Ferro”. Embora existam algumas cenas em que vemos que existiu um auxílio de guindastes, igualmente é certo que as lutas em muito dependem da habilidade superior dos intervenientes. Claro que ajuda muito ter Donnie Yen e Yu Rong Guang, dois dos maiores actores de sempre do cinema de artes marciais, e executantes com uma maestria e poder físico impressionantes. Auxiliados pela realização e coreografia de Yuen Woo Ping, para além da produção de Tsui Hark, os intervenientes desfilam um manancial de lutas impressionante, com pormenores técnicos muito imaginativos e simplesmente deliciosos. E num crescendo louvável, chegamos à luta final que, obedecendo à tradição do género, se pretende que constitua o clímax. Neste particular, “O Macaco de Ferro” não deixa mesmo nada os seus créditos por mãos alheias. Efectivamente no epílogo, se tal fosse possível após os excelentes combates anteriores, temos um digladiar do mais elevado quilate. Donnie Yen e Yu Rong Guang juntam forças e lutam contra um monge de Shaolin renegado, interpretado pelo actor Yen Shi Kwan, e oferecem-nos uma das melhores sequências de artes marciais jamais passada para a tela. A tensão provocada pelo equilíbrio perene dos combatentes em cima de uns postes de madeira, com tudo a arder em redor, é imperdível! Cabe ainda referir uma intrigante curiosidade acerca do actor que representa o jovem Wong Fei Hung. Na realidade, Tsang Sze Man é uma rapariga, embora confesse que tal não seja tão evidente assim para quem visiona a película. Ao consultar a filmografia desta actriz, pude observar que “O Macaco de Ferro” foi o único filme em que esta intérprete participou.


"O Macaco de Ferro enfrenta o monge renegado Hiu Hing"

O argumento contém os predicados tradicionais do género e afigura-se extremamente simples de seguir. Trata-se da clássica luta em que alguém desafia o poder corrompido instituído, e numa evidente aproximação a personagens como “Robin dos Bosques” ou “Zorro”, combate as injustiças roubando aos ricos para dar aos pobres. Os mais familiarizados com os filmes de artes marciais de décadas anteriores à de 2000, sabem que na maior parte das vezes filmavam-se as cenas de acção (o fulcral) e logo depois elaborava-se uma trama muitas vezes primária, sobretudo para preencher os momentos mortos da película, ou para justificar o manancial de pancadaria existente. “O Macaco de Ferro” gravita um pouco em torno desta ideia, embora note-se que existe um certo cuidado numa abordagem minimamente credível relativamente aos aspectos culturais, não chegando, contudo, ao tratamento evidenciado pela saga “Era Uma Vez na China” . No fundo, temos acima de tudo entender que Yuen Woo Ping sempre teve uma faceta de coreógrafo de artes marciais muito superior à de realizador. Apreendida esta ideia, estaremos em condições de obviar certos aspectos menos felizes no desfilar da história. Outro factor que colheu algum agrado da minha parte, foram os momentos de comédia enxertados nesta longa-metragem que desanuviam um pouco o ambiente, e por vezes até nos conseguem fazer sorrir. Constitui, como muitos também devem saber, uma característica do género e que seria sobretudo potenciada por Jackie Chan. Não tão desenvolvido, mas ainda presente, temos a oportunidade de reflectir acerca dos aspectos menos estóicos de Shaolin, mormente no aspecto dos monges corrompidos que atraiçoam os valores mais caros ao ensino do mosteiro.

“O Macaco de Ferro” é, para muitos, um dos melhores filmes de artes marciais jamais feito e o expoente máximo de Yuen Woo Ping enquanto realizador. Reconheço efectivamente que neste domínio tenho ainda muito que aprender, mas é facilmente perceptível que a película é extremante entusiasmante e tem momentos de acção de perder o fôlego. Por essa razão, só me resta aconselhar vivamente esta obra a todos aqueles que apreciam o cinema mais movimentado e que faz greve a tudo o que signifique contemplação. No que concerne aos fãs de artes marciais, esta longa-metragem é de visionamento claramente obrigatório, sob pena de se gerar um vazio insuprível! Trata-se de um bom acompanhamento para películas como “Era Uma Vez na China” ou “Fong Sai Yuk”.

A não perder!


"Luta nas chamas"

Trailer

The Internet Movie Database (IMDb) link

Avaliação:

Entretenimento - 9

Interpretação - 7

Argumento - 7

Banda-sonora - 8

Guarda-roupa e adereços - 8

Emotividade - 8

Mérito artístico - 8"

Gosto pessoal do "M.A.M." - 7

Classificação final: 7,75




11 comentários:

Ayeka disse...

Olá passando para lhe dizer que indiquei o seu blog ao prêmio dardos.
Para saber como proceder por favor acesse o meu blog.

Shinobi disse...

Obrigado pela indicação, Ayeka!

Bjs.!

Heraclito disse...

Filmaço!!!!!

Takeo Maruyama disse...

Indiscutivelmente um dos melhores filmes (se não o melhor) do gênero wire-fu de todos os tempos! Once Upon A Time In China é superior se analisarmos a produção cinematográfica como um todo, mas em termos de ação, Iron Monkey é supremo!!!!

Shinobi disse...

Olá Heraclito!

É um bomfilme, sim senhor :) !

Abraço!

Shinobi disse...

Olá Takeo!


"Iron Monkey" é efectivamente um magnífico exemplo no que toca a acção! A dupla Donnie Yen/Yu Rong Guang aqui funcionou em pleno!

Grande abraço!

arleqvino disse...

..excelente pelicula, já revi duas vezes e melhora a cada vez..

Shinobi disse...

Olá arleqvino!

A popularidade de "Iron Monkey" é incontornável, como facilmente nos apercebemos pelos comentários deste "post". Por mim, está na galeria de honra dos filmes de artes marciais!
Já agora, permite-me parabenizar-te pelo excelente blog que manténs, e que confesso que desconhecia. Já o adicionei aos links deste espaço, e com certeza passarei a ser um visitante assíduo.

Para os que não sabem, o blog do arleqvino chama-se "Grand Masala", e o seu conteúdo principal gravita em torno do cinema de "Bollywood", a Meca da sétima arte indiana!

Abraço!

Takeshi Ishii disse...

com tantos ótimos comentários, além da fama que o filme já tem, é imperdoável que eu ainda não vi Iron Monkey!!!

Shinobi disse...

Olá Takeshi Ishii!

Se é um fã de acção de artes marciais, tem absolutamente de conferir este filme! É obrigatório!

Um abraço!

Sara disse...

como é bom de ver esses filmes em casa, enquanto desfruta um pouco, espero que em algum momento têm a oportunidade de ver o outro enquanto eu pedir algum delivery em Bela Vista