"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

quarta-feira, dezembro 09, 2009

“Testemunhos” de Takeo Maruyama (“Asian Fury”)

Takeo In Japan

O convidado desta semana é Takeo Maruyama, um descendente de japoneses, nascido no Brasil e que viveu parte da sua vida no país do sol nascente. Trata-se do simpático e prestável administrador do conhecido “Asian Fury” (para aceder, cliquem na foto acima). O Takeo tem sido dos “bloggers” dedicados ao cinema asiático que tenho convivido bastante (infelizmente, de forma virtual), e que há mais tempo tem aparecido pelo “My Asian Movies”, dando sugestões pertinentes acerca dos filmes que por aqui coloco, e até na rubrica das beldades da cultura asiática, quando calha colocar alguma foto que não corresponde à beleza em questão. Como facilmente se depreende quando acedemos ao site do Takeo, a sua predilecção são os “filmes de porrada”, com especial incidência no “Kung Fu Old School”. No entanto, o conteúdo do espaço do Takeo não se resume apenas aos filmes de artes marciais mais tradicionais, e frequentemente, existem incursões noutros géneros. Vale bem aceder ao “Asian Fury”, pois o Takeo tem um especial cuidado nas análises dos filmes, não facultando apenas a sua opinião, mas igualmente postando imagens bem emblemáticas e dando-nos a conhecer diversas curiosidades. Essencial, para aumentar a nossa cultura cinematográfica!

Abaixo fica o registo da entrevista.

“My Asian Movies”: O que achas que distingue genericamente a cinematografia oriental das demais?

Takeo Maruyama: Analisando dentro da minha área, que são os filmes de ação, especialmente os de Hong Kong, concluí o seguinte : os orientais têm um carisma diferente dos ocidentais.

“M.A.M.”: O que te fascina mais neste tipo de cinema?

T.M. : O dinamismo das sequencias de ação e a genialidade das coreografias de lutas.

“M.A.M.”: Tens ideia de qual o primeiro filme oriental que visionaste?

T.M. : Não lembro exatamente o primeiro que visionei, mas lembro claramente o primeiro que me impressionou : Snake In The Eagle's Shadow, de Yuen Woo Ping, com um dos meus maiores ídolos Jackie Chan.

“M.A.M.”: Qual o país que achas, regra geral, põe cá para fora as melhores obras? No fundo, a tua cinematografia oriental favorita?

T.M. : Sem dúvida, Hong Kong! Concluo isso pelo conjunto da obra, por tudo que a indústria cinematográfica de Hong Kong produziu desde o fim da década de 60, pois nos últimos anos poucos filmes de lá tem me impressionado. Embora Tailândia, Malásia, Japão, Coréia do Sul e até Vietnã e Singapura tenham produzido excelentes filmes de ação, o indústria de filmes de ação de Hong Kong é a mais importante do mundo na minha opinião, mesmo com a fraca produção atual.

“M.A.M.”: E já agora, qual o género com o qual te identificas mais? És mais virado (a) para o drama, épico, wuxia, “Gun-fu”...

T.M. : Já tive a minha fase Heroic Bloodshed, mas o meu gênero favorito é definitivamente o Kung Fu Old School, especialmente do sub-gênero Shapes. Porém, nos últimos 2 anos eu tenho me aprofundado bastante nos filmes de zumbis chineses saltitantes, os famosos keung-sze (ou jiang shi em mandarim), imortalizados na obra-prima Mr. Vampire, de Ricky Lau.

“M.A.M.”: Uma tentativa de top 5 de filmes asiáticos?

T.M. : Eu simplesmente ODEIO quando me pedem pra fazer um top, seja 5, 10 ou mesmo 50, pois os meus favoritos mudam toda semana e sempre vai ficar alguma coisa boa de fora, sem contar que, como sou um colecionador compulsivo, sempre adquiro filmes novos e antigos pro meu acervo e eventualmente descubro alguma obra-prima esquecida. Mas farei um esforço pra escolher os meus 5 favoritos.

  • Mr. Vampire : o filme que desencadeou a explosão dos filmes de keung sze na segunda metade dos anos 80. Teve muitas continuações e imitações, quase todas elas ótimas, mas nenhuma supera o original.

  • Fist Of Legend : a melhor versão da estória de Chen Zhen não é a de Bruce Lee e muito menos a de Donnie Yen, mas sim de Jet Li!

  • Operation Condor : Armour Of God 2 : embora Drunken Master 1 e 2, Snake In The Eagle's Shadow, The Fearless Hyena e Police Story tenham lugar garantido na minha lista de preferidos, considero Operation Condor um dos filmes mais criativos, completos, equilibrados - em suma, perfeito - de Jackie Chan. Possui cenas de ação simplesmente espetaculares e momentos cômicos divertidíssimos.

  • Tiger Cage 2 : reconheço que como uma produção cinematográfica Tiger Cage 1 é superior, mas como entretenimento Tiger Cage 2 é a melhor coisa que Yuen Woo Ping e Donnie Yen fizeram juntos! Já devo ter visto esse filme umas 20 vezes em VHS e mais umas 10 vezes em DVD!

  • The Avenging Boxer : após a revolução causada por Jackie Chan e Yuen Woo Ping com as obras-primas Snake In The Eagle's Shadow e Drunken Master, surgiram dezenas de imitadores, quase todos muito talentosos atuando em filmes excelentes. Peter Chen Lung foi um desses imitadores que infelizmente não teve o talento devidamente reconhecido e caiu no esquecimento. The Avenging Boxer é um filme que eu vi quando criança na casa de um tio, gravado da TV japonesa numa fita VHS importada. Uma grande pérola desconhecida.

“M.A.M”: Realizador asiático preferido?

T.M. : Dos antigos, provavelmente Sun Chung, que com seu estilo sofisticado dirigiu obras-primas tanto no gênero Kung Fu Old School (Avenging Eagle, The Master Strikes Back, A Fist Full Of Talons) quanto no gênero Heroic Bloodshed (City War).

Dos atuais, o mais me impressionou nos últimos anos foi Johnnie To. Mas em termos de ação, os tailandeses Panna Rittikrai e Prachya Pinkaew atualmente são os mestres!

“M.A.M.”: Já agora, actor e actriz?

T.M. : Sem levar em conta suas habilidades interpretativas - que são medíocres - os meus atores (prefiro chamá-los de performers) favoritos são a lenda viva Yasuaki Kurata e a sensacional Yukari Oshima, por terem sido ambos artistas marciais japoneses que conquistaram o respeito da indústria de Hong Kong. Confesso que as minhas raízes japonesas influenciaram um pouco as escolhas, he, he, he.

P.S. : Uma das metas da minha vida é conseguir toda a filmografia do Kurata. Por enquanto tenho apenas 59 filmes dele.

“M.A.M.”: Um filme oriental sobrevalorizado e outro subvalorizado?

T.M. : Sobrevalorizado? Definitivamente Hero de Zhang Yimou!!! Um belíssimo filme, sem sombra de dúvidas, mas muito pretensioso. Parece que Yimou filmou cada uma das cenas do filme pensando : “Vejam como sou genial!”. Perdoe-me, Jorge, pois sei que adoras esse filme, he, he, he.

Agora, um dos filmes que eu considero mais injustiçados do cinema asiático é Miracles, de Jackie Chan. Cansado de ser acusado de cineasta medíocre, Chan atuou e dirigiu esse remake de 2 clássicos de Frank Capra, Lady For a Day (1933) e Pocketful Of Miracles (1961). A Golden Harvest investiu uma fortuna em sua produção, com uma excelente constituição de época, filmando nos antigos estúdios da Shaw Brothers, e Jackie Chan inovou até nos movimentos de câmera, sofisticados e intrincados, sem esquecer das suas coreografias criativíssimas. Miracles foi até que bem recebido pela crítica, mas o resultado nas bilheterias foi desapontador comparado com o que foi investido pelo estúdio. Infelizmente até hoje esse filme é pouco lembrado. Tenho certeza de que a maioria dos críticos de Jackie Chan nunca ouviu falar desse filme, por isso acham que seus filmes não têm nenhum valor artístico.

“M.A.M.”: A difusão do cinema oriental está bem no teu país, ou ainda há muito para fazer?

T.M. : Até há alguns anos atrás nós tínhamos no Brasil um selo excelente chamado China Video, que tinha em seu catálogo centenas de clássicos de Hong Kong e vários filmes japoneses e sul-coreanos. Inclusive eles lançaram no Brasil vários daqueles clássicos da Shaw Brothers remasterizados pela Celestial muito antes dos americanos começarem a lançar em R1, o que considerei uma iniciativa corajosa e profundamente admirável! Infelizmente a China Video encerrou as atividades já fazem uns 2 anos.

Existia também um selo mais popular chamado Works que lançou no Brasil dezenas de filmes de kung fu obscuros, geralmente de domínio público. Apesar da baixa qualidade de seus lançamentos, era uma boa oportunidade de se adquirir grandes pérolas do cinema B chinês a preços baixos. Eles também já não lançam nada há alguns anos.

Desde então só as grandes produções asiáticas mais conhecidas têm sido lançadas em solo brasileiro por distribuidoras mainstream. Pra colecionadores hardcore como eu, é muito pouco.

“M.A.M.”: Que conselho darias a quem tem curiosidade em conhecer o cinema oriental, mas sente-se algo reticente?

T.M. : Procure por filmes asiáticos compatíveis com o seu gosto. Se uma pessoa gosta de dramas e filmes de arte europeus, certamente vai odiar Jackie Chan e Stephen Chow, assim como um fã de Stallone e Schwarzenegger vai dormir num filme de Wong Kar Wai. O importante é saber que existem filmes asiáticos de todos os gêneros, e também filmes bons e ruins em qualquer gênero. Uma boa dica é procurar informações em blogues excelentes como o MY ASIAN MOVIES, pra ter uma idéia por onde começar. (He, he, he, Jorge, depois dessa vou querer um DVD de presente, OK?)

 

14 comentários:

tf10 disse...

Apesar dos nossos gostos serem distintos (ainda que com alguns aspectos coincidentes) é sempre bom ler o Takeo já que ele sabe mesmo do que fala! É sem dúvida a pessoa que dá os contributos mais interessantes aqui no "My Asian Movies"! E este testemunho é mais um grande exemplo disso mesmo!

Takeshi disse...

Sobrevalorizado: "Hero" de Zhang Yimou, também respondi isso. Coincidiu Takeo, mas o meu testemunho virá depois...

Se tem um blog que me inspirou profundadamente foi o "Asian Fury". Conheci o Takeo através do extinto Jackie Chan Brasil.

É muito bom encontrar informações precisas sobre filmes de ação asiáticos com quem entende e respeita o gênero.

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Quando pensei nesta rubrica, confesso que era essencial publicar algo do Takeo, senão ela ficaria definitivamente mais pobre! Acho que não poderia dar maior elogio do que este!

Uma entrevista excelente, de quem sabe o que fala!

PS: Já se começa a formar aqui algum movimento anti-"Hero", eh, eh, eh!

Nuno disse...

Ainda que não coincidamos na maioria dos gostos sobre cinema asiático, quero felicitá-lo pela excelente entrevista. Relembro-lhe que o blogg "Asian Fury" foi dos que mais consultei no 2º concurso do My Asian Movies, principalmente quando a foto era de "filmes de porrada", e que por esse motivo, me ajudou a adivinhar algumas fotos colocadas pelo Jorge.

Um Abraço

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Eh, pá! O campeão já começa a revelar as suas tácticas :))))!

Grande abraço!

Battosai disse...

Muy interesante, y diferente a lo que suele decir la mayoría. Me ha gustado mucho lo que dices en la última respuesta. Es algo evidente que sin embargo a nadie se le ocurre. Si te gusta Schwarzenegger, no veas a Wong Kar Wai xDDDDDDDDDDD.

Un saludo.

Takeo Maruyama disse...

Jorge, agradeço a oportunidade de compartilhar minhas opiniões e meus filmes favoritos com todos os leitores do seu maravilhoso blogue. Aproveito também pra agradecer os elogios dos companheiros blogueiros. Sinceramente não esperava comentários tão positivos, já que a entrevista era de um sujeito que idolatra os chamados "filmes descerebrados", e a maioria dos blogueiros que se dedicam ao cinema asiático preferem filmes mais sofisticados e menos físicos.

A propósito, quero deixar registrado aqui que uma das expressões que eu mais abomino e costumo ler frequentemente em resenhas dos filmes que eu gosto é "desligar o cérebro pra apreciar 1 hora e meia de puro entretenimento". Isso é uma muleta linguística usada como desculpa pra admitir que gostou de um filme de ação, como se isso fosse um pecado diante de outros cinéfilos "sérios". Tem até um blogueiro português (que prefiro não citar o nome) que praticamente sentiu vergonha em admitir que gostou de alguns filmes de ação, pois passou a resenha inteira se explicando pela "heresia". E claro, usou essa maldita expressão que citei acima (a de "desligar o cérebro"), como se todos os filmes de outros gêneros nos fizessem pensar.

Pra mim filme bom é todo filme que nos dê vontade de visionar novamente, independente da qualidade do roteiro ou da pobreza da produção.

Aproveito também pra corrigir o nome do ator do filme Avenging Boxer, que é Peter Chan LAU e não Peter Chen LUNG, que na verdade é um outro ator. Confundi na hora de escrever pois a minha mente estava em conflito, visto que eu queria incluir vários outros filmes excelentes no top 5, he, he, he.

Miguel disse...

Adorei as respostas dadas pelo qualificado Takeo Maruyama, de um blogue que faz parte dos meus pontos de passagem obrigatórios. Ficou-me a sinceridade das respostas, dadas com o coração. No cinema como em quase todas as artes, falar de qualidade, de melhor ou pior, é discutível. Eu próprio gosto de Bruce Willis, do Shwarzenneger ou do Stallone, mas cada um dentro do seu estilo, como Jackie Chan ou Jet Li. Takeo confessa isso mesmo com alguma humildade ao não considerar os seus actores preferidos como algo mais que performers. São actores, representam, dentro de um estilo diferente do que costumamos considerar como grandes actores, mas no estilo de cinema que lhe agrada mais e em cinema, para o público, isso é o mais importante, independentemente do orçamento, do elenco, das críticas boas ou más. Por isso há quem goste de Hero como outros gostam de filmes completamente distintos. Um abraço.

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Quando se alia a sinceridade ao conhecimento das coisas, normalmente o resultado é bom ;) !

Abraço, Miguel!

barbie-o disse...

Aprendi mais nestas linhas escritas pelo Takeo do que alguma vez podia imaginar.
Excelente entrevista.
Não fazia ideia de que havia zombies saltitantes chineses e agora que sei tenho de arranjar filmes desses. Lindo!

Obrigada, pessoal.

Anónimo disse...

Oi Jorge! Aqui é o Bakemon (sim, ainda existo). Fico feliz que esteja firme e forte com seu blog. Infelizmente não recebi seu email. Por favor, uses estees: ultramaniacs@ig.com.br ou ricardo.matsukawa@ig.com.br

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Olá, Bakemon!

Eu de facto tinha enviado um e-mail para ti a solicitar uma entrevista, mas pelos vistos não recebeste.

Amanhã envio-te a lista das perguntas, pois estou num sítio com outro cpu que não tem o ficheiro.

Em alternativa, copia as perguntas dos outros entrevistados (são iguais para todos), responde e envia-me para aqui acompanhada de uma imagem ou foto que gostes.

Para quando a reactivação do blogue, Bakemon????!!!

Abraço!

Ibirá Machado disse...

Uau, é tão bom ler coisas de gente realmente aficcionada, mesmo sobre temas tão distantes! Se há um cinema que sou quase nulo em termos de conhecimento é esse gênero oriental que o Takeo é especialista.

Obrigado pela oportunidade!

O Trapaceiro disse...

Ótima entrevista!

E Takeo... o Asian Fury morreu de vez cara? Pôxa, eu visitava direto o seu blog e tu parou de atualizar.

Não nos deixe na mão grande sábio.

Abraços.