"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

quinta-feira, julho 01, 2010

Nayagan aka Nayakan (1987)

Capa

Origem: Índia

Duração aproximada: 145 minutos

Realizador: Mani Ratnam

Com: Kamal Hassan, Saranya, Janagaraj, Tinnu Anand, Nasser, Delhi Ganesh, Nizhalgal Ravi, M. V. Vasudeva Rao, Kartika, Pradeep Shakti

Nayakan

“Velu”

Sinopse

“Shakti Velu” é uma criança que assassina o polícia que matou o seu pai, e por este facto, vê-se obrigado a fugir para Mumbai, onde acaba por ser adoptado por um pescador muçulmano, que possui uma personalidade bondosa e extremamente justa. Com o decorrer dos anos, o agora jovem adulto “Velu” (Kamal Hassan) e o seu amigo “Selva” (Janagaraj) desenvolvem um sentimento de ódio para com a polícia, devido ao facto de esta tratar de uma forma brutal as pessoas que vivem nos sítios mais pobres de Mumbai. Devido à morte perpetrada pelas forças da lei contra aquele que o acolheu em criança, “Velu” mata o oficial responsável, e embrenha-se no mundo do crime, onde o contrabando e os gangues ditam a lei.

Nayakan é torturado pela polícia

Tortura policial”

Posteriormente, “Velu” conhece “Neela” (Saranya), e apaixonados, contraem matrimónio, daqui nascendo dois filhos. Entretanto, o percurso do protagonista no mundo da criminalidade organizada vai trilhando caminho, e “Velu” acaba por tornar-se num dos mais proeminentes chefes do submundo de Mumbai. Tendo em conta este facto, a tragédia bate à porta de “Velu” outra vez, quando a sua esposa é morta num ajuste de contas entre rivais. O infortúnio constitui o mote para que “Velu” parta novamente para a vingança, elimine os seus oponentes e torne-se no indisputado líder.

À medida que os anos passam, um período de acalmia parece finalmente chegar. No entanto, “Velu” depara-se novamente com a desgraça familiar, desta vez com o casal que significa tudo para ele no mundo, os seus filhos.

Nayakan e a esposa

“Velu e Neela”

Review”

Em 1987, quando o filme “Nayagan” viu a luz do dia, estava criado um sucesso sem precedentes no que ao cinema Tamil diz respeito, tendo a sua grandiosidade se espraiado por toda a Índia, tendo inclusive sido a proposta deste país no que aos óscares do referido ano diz respeito. Em 2005, a conceituada revista “Time” viria a colocar “Nayagan” num verdadeiro pedestal, ao considerar esta película como um dos 100 melhores filmes de sempre. Um currículo de respeito, portanto.

Mas efectivamente sobre o que versa “Nayagan”? Não é segredo para ninguém que todos os países têm, em maior ou menor medida, estruturas de crime organizado que por vezes assumem a dimensão de verdadeiras sociedades à parte, ou então uma realidade muito própria dentro de determinado contexto social. A Índia, na sua imensidão geográfica e étnica, não constitui excepção. “Nayagan” foi buscar a sua inspiração a uma personagem real. Refiro-me ao “gangster” Varadajan, que controlou o submundo de Mumbai, principalmente na década de '80. As suas actividades reconduziam-se principalmente ao contrabando nos portos, evoluindo depois para os assassinatos e outras actividades ilícitas. Conta-se que Varajadan tinha criado um sistema judicial paralelo na sua comunidade tamil, onde ele próprio seria juiz e executor da lei. Conhecido como um benemérito, Varajadan era um símbolo muito forte da comunidade tamil residente em Mumbai e defensor dos direitos do seu povo, face a uma esmagadora maioria constituída pela população hindi.

“Nayagan” significa “o herói” ou “o líder”, e sem dúvida alguma que Varajadan, ou “Shakti Velu” como é chamado nesta longa-metragem, é reportado como um herói do povo, que protege os oprimidos e os que estão no degrau mais baixo do espectro social. Na senda da grande influência exercida pela saga “Godfather”, Mani Ratnam dá corpo a um épico relacionado com o crime organizado, usando como inspiração um dos “gangsters” mais conhecidos da história indiana. Contudo, “Velu” nunca é visto propriamente como um sanguinário líder criminoso, mas sim como um homem de bom coração, que é perseguido pela tragédia ao longo da sua vida, e que usa as actividades ilícitas, especialmente o contrabando, para auxiliar os que mais precisam. Repare-se que frequentemente “Velu” faz apelo a uma frase e lição de vida que lhe foi transmitida pelo seu pai adoptivo, a saber, “se é para ajudar as pessoas, não é errado”.

Dança

Dança no barco”

O enredo é algo intrincado, onde vão-se arranjando situações cada vez mais dramáticas, algumas bastante forçadas, mas que atingem o alvo pretendido. No entanto, sempre se dirá que não faltarão cenas emblemáticas em “Nayakan”. Pense-se na resistência estóica de “Velu” aos ataques da polícia com mangueiras de água, a sua luta mortal com o inspector nas favelas de Mumbai ou nas discussões que leva a cabo com a sua filha, acerca da relatividade do bem e do mal.

Os actores cumprem o que lhes é solicitado, mas o destaque terá de ir forçosamente para o actor Kamal Hassan, que representa de uma forma elevada, o papel do protagonista da trama. Consegue, em igual medida e numa actuação segura, exteriorizar a revolta de “Velu” numa idade mais precoce, o poder que detém no auge da sua vida e por fim a vulnerabilidade evidenciada na velhice. A sua reacção, face à perda dos entes queridos, é deveras comovente e credível. Um bom trabalho!

Com uma banda-sonora bastante aceitável, onde se destaca o repertório inicial e que se repete um pouco ao longo de toda a película e um final que traz à mente “Gandhi”, de Richard Attenborough, “Nayakan” é sem margem para dúvida uma obra maior da cena cinematográfica tamil. Não reconhecendo o brilhantismo que muitos teimam em atribuir a esta longa-metragem, é indubitável que estamos presentes perante uma película dotada de uma alma profunda, e com um elevado interesse, que servirá para justificar um visionamento atento.

A conferir!

Nayakan 3

Velu é confrontado pela filha”

imdb 8.3 em 10 (2.201 votos) em 1 de Julho de 2010

Avaliação:

Entretenimento – 8

Interpretação – 8

Argumento – 7

Banda-sonora – 8

Guarda-roupa e adereços – 7

Emotividade – 8

Mérito artístico – 8

Gosto pessoal do “M.A.M.” – 7

Classificação final: 7,63

9 comentários:

barbie-o disse...

Eu preciso de ver este filme!!!

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Obrigatório para quem gosta dos "cinemas" indianos!

Embora pessoalmente o tenha achado um bom filme, embora não seja também o que apregoam.

Bjs.!

barbie-o disse...

É provável que não, mas eu tomei para mim a missão de ver o maior nº de filmes do Mani Ratnam que conseguir :D

Talvez me possas dizer onde encontrar essa pérola...

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Já te envio um mail.

Ibirá Machado disse...

"Eu preciso de ver este filme!!!"[2]

Nem nunca tinha ouvido falar, confesso!...

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Olá, Ibirá!

Embora reafirme que não ache o filme tão bom quanto dizem, é uma película extremamente conceituada e obrigatória para quem anda atento à cena indiana! Portanto, visionamento obrigatório!

Abraço!

Anónimo disse...

English Language: The film was rated as Times 100 best movies of all times. Search Actor Kamal Hassan in Wikipedia, anyone can safely see his films...Acting, Masterpieces!

Anónimo disse...

Eu sou um índio usando o tradutor do google. assistir todos os filmes de Kamal Hassan (aka Kamalahassan IMDB)

especialmente assistir Hey Ram, Abhay (Alavandhan) Guna, Devar Magan (Thevar Magan), Dasavatharam, Anbe Sivam (Love is God), Virumandi

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Hi!

I liked this film very much. It's almost a masterpiece.

Cheers from Portugal to India!