"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

quarta-feira, janeiro 20, 2010

Jab We Met - जब वी मेट (2007)

Capa

Origem: Índia

Duração aproximada: 144 minutos

Realizador: Imtiaz Ali

Com: Shahid Kapoor, Kareena Kapoor, Tarun Arora, Dara Singh, Pavan Malhotra, Kamal Tiwari, Kiran Juneja, Divya Shah, Saumya Tandon, Nihar Thakkar, Manushka Khisty

Geet 3

Geet”

Sinopse

“Aditya” (Shahid Kapoor) é um jovem empresário de sucesso, que vê o seu mundo arruinar-se quando descobre que o seu amor vai casar com outra pessoa. De coração destroçado, o rapaz anda sem rumo pelas ruas de Mumbai até embarcar num comboio, sem saber o destino deste. Lá conhece uma rapariga tagarela, chamada “Geet” (Kareena Kapoor), com uma personalidade completamente oposta à dele. Enquanto que “Aditya” se encontra depressivo, e com uma postura negativa, “Geet” pelo contrário não para de falar, e tem uma alegria de viver contagiante. No meio de uma confusão, o casal perde o comboio, e “Aditya” vê-se obrigado a acompanhar “Geet” até à casa da sua família em Bathinda.

Aditya

Aditya”

Quando ambos chegam ao seu destino, a família de “Geet” convence-se que esta e “Aditya” estão enamorados, depois de uma cena que acontece entre ambos e que arruína o noivado arranjado da rapariga. No entanto, as coisas não são bem assim, pois “Geet” está apaixonada por “Anshuman” (Tarun Arora), Depois de finalmente se reunir com “Anshuman”, “Geet” e “Aditya” despedem-se e o empresário volta a Mumbai rejuvenescido e pronto a encarreirar outra vez no caminho do sucesso profissional. Contudo, e após “Geet” desaparecer, “Aditya” parte em busca da mulher que se apercebe que ama.

Aditya e Geet 3

O casal apaixonado”

Review”

“Jab We Met” (numa tradução livre “Quando nos conhecemos”) é uma típica comédia romântica de “Bollywood”, que tinha como um dos predicados principais o facto de os principais protagonistas, Shahid Kapoor e Kareena Kapoor, à altura possuírem um badalado romance na vida real. Contudo, a suposta paixão emanada pelo filme, não contagiaria o casal, pois o mesmo viria a findar o relacionamento durante as filmagens. A película granjeou bastante sucesso no “box office” indiano, e igualmente “fora de portas”, principalmente no Reino Unido. Trata-se de uma obra marcadamente virada para a paixão sem tréguas, evidenciando uma clássica história de amor entre dois seres completamente opostos, mas que acabam por se influenciarem pelas características um do outro. O conceito não é novo, já todos nós vimos isto algumas vezes.

O argumento de “Jab We Met” padece de alguma falta de substância, agradando aqueles que se contentam com pouco, ou que em determinado momento não estejam com disposição para pensar muito. Existem situações marcadamente incredíveis, que exageram em demasia, mesmo tendo em conta que estamos no propalado mundo de sonho de “Bollywood”. Apesar da grande extensão do filme, aspecto vulgar quando se fala das obras da meca do cinema indiano, a aproximação do casal dá-se de uma forma pouco natural, com grave prejuízo para a empatia do espectador com as personagens. Embora seja um pouco céptico em relação ao que se costuma chamar de “magnetismo”, a maneira como o casal se aproxima com uma resistência pouco convincente, para o que se pedia, do destroçado “Aditya”, não convence mesmo nada. E os imbróglios em que ambos se metem, embora tenham momentos que divertem, simplesmente não colhem muito a minha simpatia. As partes cómicas resultam geralmente bem, e neste particular destaca-se o avô sikh de “Geet, outras são completamente infantis e sem piada absolutamente nenhuma. Comparado a, por exemplo, uma película como a obra-prima sul-coreana “My Sassy Girl” que se mexe um pouco no mesmo segmento e sob as mesmas premissas, “Jab We Met” é um parente paupérrimo e sem brilho nenhum, embora provenha de uma cinematografia diversa e com características distintas.

Geet 2

“Geet corre na direcção do seu amor”

A química entre o casal Shahid Kapoor e Kareena Kapoor resulta no essencial bem, a que não será alheio, como acima aflorei, o facto de ambos manterem um relacionamento à altura, embora o mesmo tenha findado durante as filmagens de “Jab We Met”. Claro que não nos estamos a reportar aos momentos que apelidei de “incredíveis” ou com pouca substância. Pessoalmente, e reportando-me à actriz, não sou um grande fã da mesma. Contudo, sou obrigado a reconhecer que Karena Kapoor tem um forte carisma, muito difícil de igualar pelas suas pares. Outro dado relevante mais relacionado com o romance em si, é algo que para os ocidentais não assume especial relevância, mas para o espectro de “Bollywood” sim. Existe uma cena em que existem beijos na boca, imagine-se! Por sua vez, as danças e coreografias são bastante aceitáveis, em especial “Nagada Nagada”, que foi acolhida igualmente na novela brasileira “O Caminho das Índias”. Não será pelo espectro melódico ou mais dançável que esta obra cairá.

Se tiverem paciência, uma breve pesquisa pela internet fará com que concluam que “Jab We Met” é um filme bastante consensual, de uma forma positiva, no que concerne à crítica especializada. Nem que seja por este motivo, poderão sentir-se impelidos a desfrutarem das aventuras e desventuras amorosas do casal “Aditya” e “Geet”. Por estes lados, sinto que estamos perante um filme mediano, chegando a ser banal em diversos momentos e diria mesmo sem sal. Tremendamente previsível, socorre-se de alguns bons momentos que não são em número suficiente para qualificarmos “Jab We Met” como um produto de primeira ordem de “Bollywood”. Será apenas mais um filme, que mergulhará e não se distinguirá na turba das centenas que a principal indústria cinematográfica indiana produz todos os anos.

Nagara nagara

Nagada Nagada”

imdb Nota: 7,9/10 (2.582 votos) em 21/01/2010

Música “Nagada Nagada”

Outras críticas em português:

  1. Grand Masala

Avaliação:

Entretenimento – 8

Interpretação – 7

Argumento – 6

Banda-sonora – 8

Guarda-roupa e adereços – 7

Emotividade – 8

Mérito artístico – 7

Gosto pessoal do “M.A.M.” – 6

Classificação final: 7,13

11 comentários:

Ibirá Machado disse...

Ai, ainda não tive vontade de ver esse filme... devo?

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Pessoalmente, achei um filme banal!

Mas acho que a Bárbara do "Grand Masala", gostou.

Abraço!

Ibirá Machado disse...

Pois é, aquele sorriso parvo dela não nega :S

barbie-o disse...

E gostei mesmo, porquê? :P
Vocês é que não percebem a magia dos "chick flicks" :D

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Então era isso... :)))) !

Bjs.!

Battosai disse...

Una pequeña corrección: My Sassy Girl no es la primera película de Kwak Jae-young. Hizo varias en los 90, aunque no las he encontrado por ninguna parte. O al menos eso dice aquí: http://asianmediawiki.com/Jae-young_Kwak

Pásalo bien.

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Olá, Battosai!

Sei perfeitamente que "My Sassy Girl" não é a primeira película de Kwak Jae-young. Onde é que isso está escrito???

Abraço!

Battosai disse...

Dices en una parte... "Comparado a, por exemplo, uma película como a obra-prima sul-coreana “My Sassy Girl”"

¿Lo de "obra-prima" no significa lo mismo que en español "ópera prima", es decir, primera película?

Jorge Soares Aka Shinobi disse...

Em português, "obra-prima" significa o melhor filme, uma coisa que está acima das outras todas, que se diferencia pela sua extrema qualidade. No fundo, que é muito bom ;)!

Agora já percebi porquê que pensavas que tinha dito que "My Sassy Girl" era o primeiro filme de Jae-yong :)))).

Grande abraço!

Battosai disse...

Aclarado. Era un "false friend".

Pásalo bien.

Hayakawa Sara disse...

Quero muito saber onde fazer o download desse filme sem ser em utorrent.

Qualquer coisa entre em contato: saradivino@hotmail.com