"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

domingo, outubro 03, 2010

Jeon Woo Chi: The Taoist Wizard/Jeon Woo Chi – 전우치 (2009)

Capa

Origem: Coreia do Sul

Duração aproximada: 136 minutos

Realizador: Choi Dong-hoon

Com: Kang Dong-won, Kim Yoon-seok, Im So-jeong, Yoo Hae-jin, Song Young-chan, Joo Jin-moo, Kim Sang-ho, Seon Woo-seon, Kong Jeong-hwan, Kwon Tae-won, Lee Sook, Baek Yun-shik

Jeon Woo Chi 2

Jeon Woo Chi”

Sinopse

Há 500 anos atrás, na Coreia, em plena dinastia Joseon, “Jeon Woo Chi” (Kang Dong-won), um jovem feiticeiro com laivos de rebeldia, parece estar mais preocupado em perseguir a fama e agir de forma pouco respeitável, do que propriamente ajudar o seu mestre (Baek Yun-shik) a proteger uma flauta sagrada dos temíveis “goblins”. Após o seu mentor ter caído às mãos do feiticeiro maléfico “Hwa-dan” (Kim Yoon-seok), “Woo Chi” e o seu fiel companheiro “Dorangyi” (Yoo Hae-jin) são incriminados injustamente pelo horrível acto e selados magicamente em pinturas pelos deuses taoistas.

In-kyeong

In-kyeong”

Na Seul da actualidade, “Hwa-dan” e os “goblins” procuram a flauta mágica, e temendo o fim do mundo, os deuses taoistas libertam “Woo Chi” e “Dorangyi”, de forma a combater as forças do mal. Infelizmente, 500 anos parecem não ter sido suficientes para que o jovem feiticeiro tivesse alterado seu feitio indisciplinado. Contudo, tudo parece mudar quando “Woo Chi” depara-se com a reincarnação do seu amor de sempre “In-kyeong” (Im So-jeong).

Hwadan 2

O feiticeiro Hwa-dan”

“Review”

Posso começar este breve texto, praticamente com a conclusão: “Jeon Woo Chi (...)” foi uma agradável surpresa, que ajudou a passar muito bem duas horas e pouco nocturnas, em que o cansaço já começava a pesar. Contudo, o filme teve o condão de despertar o ser e a mente, proporcionando momentos de notável entretenimento e emoção a rodos. Trata-se de uma película ideal para os momentos de maior descontracção ou de festividade, não tivesse sido “Jeon Woo Chi (...)”, o campeão de bilheteira na Coreia do Sul, durante o Natal de 2009, com um registo de admissões nas salas de cinema, superior a seis milhões de espectadores.

Apesar de ser marcadamente um “blockbuster” de grande orçamento, esta longa-metragem tem partes distintas, mas muito bem estruturadas e quase igualmente cativantes. Os primeiros 45 minutos passam-se no período da história coreana conhecido como a era (ou dinastia) Joseon. Não se resumindo apenas a uma mera função de enquadramento, aqui temos a oportunidade de nos deparar com um “Woo Chi” arrogante e que só se mete em tropelias, deambulando num mundo mitológico e mágico onde convivem deuses, feiticeiros e seres maléficos como “goblins”. Na segunda parte, temos um “Woo Chi” liberto na actualidade, em que terá de se adaptar ao progresso de 500 anos, mas acima de tudo aprender a abandonar o seu feitio imaturo e rebelde, de forma a poder salvar o mundo. De certa forma, confesso que o feitio de “Woo Chi” e a aura que o rodeia, fez-me lembrar a personagem do jovem e desafiador feiticeiro “Howl”, do filme de Miyazaki “Owl's Moving Castle”.

Ataque dos goblins

Ataque de um goblin que assumiu forma humana”

Como já acima aflorei, esta obra encontra-se dotada de um grande entretenimento. Os efeitos especiais, que ilustram principalmente as lutas travadas entre feiticeiros e também entre estes e “goblins”, estão bem acima da média e proporcionam mesmo momentos visualmente fascinantes. Sendo uma película revestida de muita criatividade e até alguma originalidade, é garantido que aqueles que elegem a fantasia como o seu domínio de eleição, ficarão deslumbrados com o design dos “goblins”, ou então com a variedade de feitiços que são expostos. Tudo acompanhado com um ritmo apreciável e momentos de acção bem conseguidos. No meio, sempre há espaço para felizes momentos de comédia, essencialmente a cargo de “Dorangyi”, o “side kick” de “Woo Chi” e dos três desajeitados deuses taoistas.

Com actuações medianas, mas seguras, “Jeon Woo Chi (...)” é a prova que um filme de massas, não tem necessariamente de ser um exercício oco de superficialidade, mas pelo contrário auxiliado por bastantes aspectos relevantes. Esta longa-metragem reflecte um adequado equilíbrio entre efeitos especiais, personagens interessantes e um argumento aceitável. Pelo exposto, e porque o entretenimento e o cinema “leve”, são também “cinema”, aconselho este “Jeon Woo Chi: The Taoist Wizard” a todos aqueles que abraçam o mitológico e o fantástico, exteriorizado com qualidade. É este o caso.

Goblin

Um dos goblins”

imdb 7.0 em 10 (336 votos) em 2 de Outubro de 2010

Avaliação:

Entretenimento – 9

Interpretação – 7

Argumento – 7

Banda-sonora – 7

Guarda-roupa e adereços – 9

Emotividade – 8

Mérito artístico – 8

Gosto pessoal do "M.A.M.” – 7

Classificação final: 7,75

Sem comentários: