"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

domingo, setembro 09, 2007

Ferro 3/3-Iron/Bin-jib - 빈집 (2004)

Origem: Coreia do Sul

Duração: 89 minutos

Realizador: Kim Ki-duk

Com: Lee Seung-yeon, Jae Hee, Kwon Hyuk-ho, Choi Jeong-ho, Lee Ju-seok, Lee Mi-suk, Moon Sung-hyuk, Park Jee-ah, Jang Jae-yong, Lee Dah-hae, Kim Han, Park Se-jin, Park Dong-jin

"Sun-hwa"

Estória

“Tae-suk” (Jae Hee) é um jovem que não tem uma vida dita comum. Ele põe prospectos publicitários em portas de residências, e quando vê que os mesmos não foram removidos, penetra nas casas.

Não, “Tae-suk” não é um ladrão. Ele apenas passa as noites em moradias de estranhos, usufruindo das suas comodidades e inclusive fazendo pequenos serviços, tais como lavar a roupa e consertar aparelhos danificados. Faz questão de tirar sempre uma fotografia com a sua câmara digital, dos sítios onde passou e ao pé das fotos das famílias que residem nas habitações.

"Tae-suk"

A vida do jovem sofre uma viragem quando um dia entra numa casa que pensa que está abandonada e depara-se com “Sun-hwa” (Lee Seung-yeon), uma mulher que se apresenta mal tratada física e emocionalmente pelo marido (Kwon Hyuk-ho).

Uma cruzada silenciosa de reconhecimento e amor inicia-se entre o casal, fazendo com que “Sun-hwa” acompanhe “Tae-suk” nas suas deambulações por casas de terceiros. No entanto, o marido de “Sun-hwa” tudo fará para aprisionar a sua esposa e terminar o estranho relacionamento que esta mantém com o “Tae-suk”.

"Um casal infeliz"

"Review"

Para muitos, “Ferro 3” é considerado o melhor filme de Kim Ki-duk e uma das grandes películas provenientes da cinematografia asiática. Pessoalmente, sou a concordar com esta última afirmação. “Ferro 3” é de facto uma longa-metragem grandiosa e cativante, e cujos quatro prémios que venceu no Festival de Veneza – edição de 2004, constituem um excelente cartão de visita. No entanto, quanto à filmografia do realizador coreano, continuo a preferir, ainda que por uma margem mínima, “Samaritana”. Mas isso é outra estória.

Os diálogos não colhem muita preferência por parte de Kim Ki-duk, e isso nota-se em todos os seus filmes. O realizador nutre a sua franca preferência pelos esgares, olhares, gestos e tudo o mais que implique expressão corporal. O enveredar por esta técnica de representação, poderia, eventualmente, tornar as longas-metragens de Ki-duk um penoso e maçador exercício. Mas tal não acontece devido ao facto do realizador ser um verdadeiro mestre na arte de dirigir os actores e de potenciar ao máximo as qualidades intrínsecas destes. Esta forma de estar no cinema aliada aos maravilhosos planos de câmara e sábios argumentos, fazem de Kim Ki-duk, sem margem para qualquer dúvida, um dos melhores realizadores asiáticos actualmente em actividade.

“Ferro 3” é um excelente exemplo do que se falou no parágrafo anterior. A relação entre “Sun-hwa” e “Tae-suk” é alicerçada numa muda interacção, onde predominam os carinhos, os olhares e os aludidos gestos significativos. Quando o silêncio no filme é quebrado (refiro-me apenas às duas personagens principais) por “Sun-hwa” ouvimos um grito lancinante e que nos congela a alma. Na segunda vez, ouvimos “Sun-hwa” a afirmar com um carácter casto e sincero “amo-te”, já depois das peripécias vividas com “Tae-suk”. O rapaz encontra uma razão sublime em “Sun-hwa” para expor todos os seus atributos de “bom samaritano” e de humanidade. Esta última ideia, humanidade, é um valor muito caro a Ki-duk e alvo de uma constante exploração em todos os filmes que realizou.

"Descarregar a tensão"

Em “Ferro 3”, é dado o enfoque nos relacionamentos entre os casais das grandes urbes, com as suas tragédias e conflitos pessoais. Não nos é dado a observar apenas o peculiar triângulo amoroso formado por “Tae-suk”, “Sun-hwa” e o seu marido. Com apenas uma excepção, todas as casas invadidas por “Tae-suk” albergam casais de diferentes géneros e feitios, constituindo o relacionamento destes, a temática secundária da estória, mas nem por isso menos importante.

O argumento, igualmente da autoria de Ki-duk, é fantástico e merece a nota máxima. A exposição de ideias é simplesmente brilhante à falta de adjectivo melhor. A banda-sonora faz jus ao exposto no filme, e acentua exponencialmente o desfile de sentimentos.

O título original desta película significa literalmente “casas vazias”. Aquando da sua difusão internacional é que optou pela designação “Ferro 3”. Não se pense que já houve um “Ferro” e “Ferro 2”, sendo este o terceiro episódio de uma trilogia. “Ferro 3” refere-se ao taco de golfe nº 3 (feito de ferro), e que no filme tem a função de fazer com que “Tae-suk” descarregue a sua raiva e liberte-se amiúde da sua faceta mais singela.

No epílogo da longa-metragem, sob um fundo negro, somos confrontados com a seguinte expressão:
“É difícil dizer se o mundo em que vivemos é uma realidade ou um sonho.”

Ora aqui está uma afirmação para a qual não tenho uma resposta concreta. O que eu sei é que “Ferro 3” é um filme imperdível para todos os amantes de bom cinema!

"À procura da próxima casa"

Trailer, The Internet Movie Database (IMDb) link

Outras críticas em português:

Avaliação:

Entretenimento - 7

Interpretação - 9

Argumento - 10

Banda-sonora - 9

Guarda-roupa e adereços - 7

Emotividade - 9

Mérito artístico - 10

Gosto pessoal do "M.A.M." - 8

Classificação final: 8,38





6 comentários:

H. disse...

Só vi o filme uma vez, no cinema (onde também vi Samaritana e Time, este no Fantas) e para mim é este o melhor do senhor KIM.
Além da beleza poética de todo o filme, há aquele algo de radical, em filmar um filme ""mudo"" e em fazer as imagens falar (e elas dizem tanto!)...

Shinobi disse...

O filme é sem dúvida belíssimo e tem o condão de como tu dizes, e muito bem, "fazer as imagens falar (e elas dizem tanto!)...

No entanto, e como já disse no texto, gosto mais (embora por uma margem muito mínima) do "Samaritana". Acho aquela abordagem da relação pai/filha simplesmente brilhante.

São ambos grandes filmes!

Nuno disse...

Caro Jorge,

...sabes o que penso do coreano Kim Ki Duk, que é um dos grandes realizadores asiácticos vivos. Vi tudo o que existe em português. Falta-te vêr o "Primavera , Verão, Outono , Inverno ...e Primavera" e o "Bordel do lago"...
De facto "Ferro 3" é um filme fantásticamente intrigante. Samaritana é outra obra prima de Kim Ki-duk... como o é o "Primavera, Verão...." Não podes perder este filme...

Shinobi disse...

Caro Nuno,

Já vi o "Primavera , Verão, Outono , Inverno ...e Primavera" e o "Bordel do Lago" e concordo que estes dois também são películas com grande mérito.

Mas até prova em contrário, considero "Samaritana" como a obra de Kim Ki-duk que colhe mais a minha simpatia.

No entanto, nunca se sabe se um dia mudo de ideias...

Grande abraço!

Dewonny disse...

Esse filme é maravilhoso, fantástico, belíssimo, tudo de bom, enfim, gostei pra caramba, tem no meu blog meu comentário, o filme aqui no Brasil se chama "Casa Vazia", tbm já vi o Primavera, Verão, Outono...do Kim Ki-Duk, diretor coreano que só faz filmaço, não conhecia o "Samaritana" que li seu comentário, no momento estou baixando "O Arco" (The Bow). Mas ainda falta muita coisa pra ver desse grande diretor!
Abs!

Shinobi disse...

Kim Ki-duk é sem dúvida dos melhores realizadores asiáticos, embora por vezes seja um pouco incompreendido. Praticamente todos os seus filmes são obras de arte no verdadeiro sentido da palavra. Veja o "Samaritana", pois pessoalmente é o meu filme preferido do realizador, embora seja complicado escolher qual deles é o melhor.

Abraço!