"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

sexta-feira, agosto 15, 2008

Realizador Asiático Preferido - Votação

Apresento-vos mais um realizador asiático que está sujeito ao vosso escrutínio, no quadro de votações mais abaixo à direita. Não custa relembrar que podem escolher mais do que uma opção, antes de clicarem e submeterem o(s) vosso(s) voto(s). Igualmente podem sugerir outros nomes para serem postos a votação.
Takashi Miike

Informação

Filmografia enquanto realizador (caso exista alguma crítica, o título estará assinalado a cor vermelha. Para aceder ao texto , basta clicar):

  1. Last Run: 100 Million Ten's Worth of Love and Betrayal (1991)
  2. Topuu! Minipato tai - Aikyacchi Jankushon (1991)
  3. Red Hunter: Prelude to Murder (1991)
  4. A Human Murder Weapon (1992)
  5. Bodyguard Kiba (1993)
  6. Oretachi wa tenshi ja nai (1993)
  7. Oretachi wa tenshi ja nai 2 (1993)
  8. Shinjuku Outlaw (1994)
  9. Bodyguard Kiba: Combat Apocalypse (1994)
  10. The Third Gangster (1995)
  11. Bodyguard Kiba: Combat Apocalypse 2 (1995)
  12. Osaka Tough Guys (1995)
  13. Shinjuku Triad Society (1995)
  14. New Third Gangster: Outbreak Kansai Yakuza Wars (1996)
  15. New Third Gangster 2
  16. Jingi naki yabô (1996)
  17. Rakkasei: Piinattsu (1996)
  18. The Way to Fight (1996)
  19. Fudoh: The New Generation (1996)
  20. Young Thugs: Innocent Blood (1997)
  21. Jingi naki yabô 2 (1997)
  22. Rainy Dog (1997)
  23. Full Metal Yakuza (1997)
  24. The Bird People in China (1998)
  25. Andromedia (1998)
  26. Blues Harp (1998)
  27. Young Thugs: Nostalgia (1998)
  28. Japan Underworld (1999)
  29. Silver - shirubaa (1999)
  30. Audition (1999)
  31. Dead or Alive (1999)
  32. Salaryman Kintaro (1999)
  33. N-Girls Vs. Vampire (1999)
  34. The City of Lost Souls (2000)
  35. The Guys From Paradise (2000)
  36. Dead or Alive 2: Birds (2000)
  37. Zuiketsu gensô - Tonkararin yume densetsu (2001)
  38. Kumamoto monogatari (2001)
  39. Agitator (2001)
  40. The Happiness of the Katakuris (2001)
  41. Dead or Alive: Final (2002)
  42. Onna Kunishuu ikki (2002)
  43. Sabu (2002)
  44. Graveyard of Honor (2002)
  45. Shangri-La (2002)
  46. Pandoora (2002)
  47. Deadly Outlaw: Rekka (2002)
  48. Part-time Detective (2002)
  49. The Man in White (2003)
  50. Gozu (2003)
  51. Yakuza Demon (2003)
  52. Negotiator (2003)
  53. One Missed Call (2003)
  54. Zebraman (2004)
  55. Part-time Detective 2 (2004)
  56. Three...Extremes - segmento Box (2004)
  57. Izo (2004)
  58. Demon Pond (2005)
  59. The Great Yokai War (2005)
  60. Big Bang Love, Juvenile A (2006)
  61. Waru (2006)
  62. Waru: kanketsu-hen (2006)
  63. Sun Scarred (2006)
  64. Like a Dragon (2007)
  65. Sukiyaki Western Django (2007)
  66. Tantei monogatari (2007)
  67. Crows: Episode 0 (2007)
  68. God's Puzzle (2008)


4 comentários:

Miguel Patrício disse...

Takashi Miike: génio ou burlão?
A pergunta tem vindo a ser frequentemente posta (mesmo com outras subtilezas e agora mais do que nunca) desde que o Ocidente conhece as obras frenéticas, "non-stop madness" de Takashi Miike. Nessas primeiras descobertas mais abrangentes destacam-se os anos de 1999 a 2001: Ichi the Killer, a trilogia Dead or Alive, Audition, The Happiness of Katakuris ou Visitor Q (o infame Visitor q...).
De modo a fugir a rótulos perigoso ou considerações injustas (uma indecisão maior na pergunta vem já de um Ryuhei Kitamura, por exemplo) deve-se considerar Takashi Miike como uma máquina de trabalho, um artesão não só do caos, mas principalmente da renovação face ao caos: títulos mais poéticos como The Bird People in China (que recomendo vivamente), Dead or Alive 2, Big Bang Love Juvenile A (a sua obra-maior, na minha opinião) ou até mesmo, com outros contornos, Izo, são prova de que Miike não é so um iconoclasta (relembramos aquele final destrutivo do primeiro capítulo de Dead or Alive para comprovar o que se disse) é também um artista (na concepção mais genérica da palavra).
Embora pareça estar agora interessado numa vertente mais comercial da sua carreira (com as desilusões recentes Like a Dragon, Sukiyaki Western Django, Crows Zero, este último numa menor escala)e uma quantidade de obras a vir duvidosas ( God's Puzzle, Crows Zero II e Yatterman) relembre-mos apenas também que sempre que há Miike, há experimentação, há empirismo na senda do aproveitar ao máximo tudo o que lhe dão.
Se no princípio deste milénio, o cinema japonês fora desenterrado ou descoberto foi muito devido a realizadores como Nakata, Shimizu ou Miike. Do lote, só Miike é (com todos os seus devaneios) genial.

Nuno disse...

Caro Jorge,

Eu gosto de Miike. Gostei do que vi. Sabes que os filmes de terror não os vejo, mas já estou a começar ... devagarinho. Já comprei "One missed call" só me falta a coragem para ver...
Já votei algumas vezes em Miike, confesso.

Um Abraço

Shinobi disse...

Caro Miguel Patrício,

mais uma excelente elucidação que todos nós aqui agradecemos!

Um abraço!

Shinobi disse...

Amigo Nuno,

o Miike tem filmes para todos os gostos e mais alguns, sendo um realizador dotado de uma produtividade imensa e de uma originalidade igualmente profícua. Por isso, se saltares os de terror, mesmo assim ainda ficarás com imensa coisa para ver.

De qualquer forma e no que concerne ao cinema mais pesado de Miike, estou convicto que como homem valente que és,vais dar a volta por cima com muita "pinta" ;) !

Desde que não seja no Jackie Chan, todos os votos são bem vindos, lol!

Grande abraço!