"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Realizador Asiático Preferido - Votação

Apresento-vos mais um realizador asiático que está sujeito ao vosso escrutínio, no quadro de votações mais abaixo à direita. Não custa relembrar que podem escolher mais do que uma opção, antes de clicarem e submeterem o(s) vosso(s) voto(s). Igualmente podem sugerir outros nomes para serem postos a votação.
Yasuzo Masumura

Informação

Filmografia (caso exista alguma crítica, o título estará assinalado a cor vermelha. Para aceder ao texto basta clicar):

  1. Kisses (1957)
  2. The Bright Girl (1957)
  3. Warm Current (1957)
  4. The Precipice (1958)
  5. Giants and Toys (1958)
  6. A Daring Man (1958)
  7. Undutiful Street (1958)
  8. The Most Valuable Wife (1959)
  9. Flood (1959)
  10. Beauty and Guilty (19599
  11. Across Darkness (1959)
  12. A Woman's Testament (1960)
  13. Afraid to Die (1960)
  14. The Woman Who Touched the Legs (1960)
  15. A False Student (1960)
  16. Desperate to Love (1961)
  17. A Lustful Man (1961)
  18. A Wife Confesses (1961)
  19. The Troublesome Sisters (1961)
  20. Stolen Pleasure (1962)
  21. The Black Test Car (1962)
  22. Life of a Woman (1962)
  23. The Black Report (1963)
  24. Lies - "Playgirl" (1963)
  25. Hooligans, Pure Thoughts (1963)
  26. Modern Fraudulent Story: Cheat (1964)
  27. The Husband Witnessed (1964)
  28. All Mixed Up (1964)
  29. Black Express (1964)
  30. The Hoodlum Soldier (1965)
  31. Seisaku's Wife (1965)
  32. Irezumi (1966)
  33. Nakano Spy School (1966)
  34. Red Angel (1966)
  35. Two Wives (1966)
  36. Love for an Idiot (1966)
  37. The Wife of Seishu Anaoka (1967)
  38. The Most Corrupted (1968)
  39. The Sex Check (1968)
  40. A Building Block's Box (1968)
  41. They Made Love (1968)
  42. Blind Beast (1969)
  43. Thousand Cranes (1969)
  44. Vixen (1969)
  45. Play It Cool (1970)
  46. Yakuza zesshô (1970)
  47. The Hot Little Girl (1970)
  48. Play (1971)
  49. Music (1972)
  50. Hanzo the Razor: The Snare (1973)
  51. Akumyo: Notorious Dragon (1974)
  52. Dômiaku rettô (1975)
  53. Lullaby of the Earth (1976)
  54. Double Suicide of Sonezaki (1978)
  55. Garden of Eden (1980)
  56. For My Daughter's 7th Birthday (1982)

6 comentários:

Nuno disse...

Jorge,

56 filmes realizados, e eu acho que não vi nenhum. Não sei quem é o Sr.
Vou deixar para o "tf10" comentar alguma coisa sobre o homem.

Acho que não vou votar neste senhor.

Abraço
Nuno

Shinobi disse...

Já tinha ouvido falar dele, pois é um grande nome do que normalmente chamamos de "new wave" japonesa. No entanto, no meio de tanto filme, eu também não vi nenhum (isso explica-se por eu não ser muito ligado ao cinema japonês daquele período).
Como esta sugestão veio do "tf10", julgo que ele, melhor do que ninguém, conhecerá o0s méritos de Yasuzo Masumura.

Abraço

tf10 disse...

É Jorge, ele além de grande nome do movimento é mesmo uma especie de inspiração para aquele que foi o mais brilhante periodo do cinema japonês! Não é por isso de estranhar que a sua estreia tenha sido com um filme em que o protagonismo é dos jovens, tema tão caro a vários realizadores da altura, iniciando assim uma busca por uma maior individualidade no cinema japonês!
Ele de facto possui um registo bastante vasto e é muito dificil resumir uma obra tão extensa! Dessa lista interminável já tive a oportunidade de ver quase uma dezena de filmes e aquilo que salta à vista nesses seus filmes é por um lado uma tremenda intensidade e excesso das histórias e personagens, muitas delas obsessivas, delirantes e doentias - com destaque para as protagonistas femininas - sempre com um toque mais sensual e erótico! (maravilhosa Ayako Wakao!) :) Blind Beast, Manji, Red Angel e talvez o meu favorito Seisaku's Wife são belos exemplares disso mesmo!
Outra faceta curiosa é a sagacidade com que olha para a sociedade japonesa da altura, por vezes de forma satirica, ora mais obscura e niilista com "Black Test Car" ora mais cómica com "Giants and Toys"!
Esta meia dúzia de filmes que referi seriam os mais recomendados daqueles que estão disponiveis e com eles já se pode ter uma noção da vitalidade que imprimiu à industria na altura!
Por isso Nuno e Jorge não hesitem em fazer-lhe uma visita! ;)


Já que se fala do Masumura aproveito para assinalar a morte recente de um realizador com quem ele trabalhou: RIP Kon Ichikawa!!

abraço!

Shinobi disse...

Como já estava a prever, fiquei bastante elucidado com a dissertação do tf10!
Como já disse no "post" anterior, não sou um fã acérrimo desse período da história do cinema japonês. No entanto, a tua descrição acicatou-me a curiosidade, pelo que vou conferir uma das obras que mencionaste. Quanto ao pendor erótico e sensual que mencionaste, não sei porquê, mas quando pus-me a observar os títulos de alguns dos filmes de Masumura, essa ideia ocorreu-me :) !

Fica o apontamento em relação ao desaparecimento de Kon Ichikawa, que constituiu sem sombra de dúvida uma grande perda para o cinema nipónico e não só!

Abraço!

Miguel Patrício disse...

Ora Viva!
Depois de ver o comunicado do Shinobi pensei cá para mim que só voltaria a ver este blog no activo daqui a uns tempos. E agora... deparo-me com a retrospectiva de Masumura: realizador que tive a opurtunidade de "estudar" há pouco tempo (cerca de 1 mês). Tal como o meu caro Tf10, só vi uns 10 títulos (Kisses, Giants and Toys, Affraid to Die, The Black Test Car, Manji, Seisaku's Wife, Irezumi, Red Angel, Blind Beast e o 2º capítulo do Hanzo the Razor). A sua importância é indiscutível visto que foi mesmo dos primeiros realizadores estruturadores do movimento da Nouvelle Vague (juntamente com Ko Nakahira ou Kaneto Shindo em meados de 50)passando do movimento crítico para a feitura directa de filmes.
Com Nagisa Oshima a apelidá-lo de "um acontecimento no cinema japonês" (não esqueçamos que o crítico implacável tambem dizia "O que odeio no cinema japonês? Absolutamente tudo."), Yasuzo Masumura foi desenvolvendo uma cinéfilia que embora se preocupasse a princípio com a juventude do pós-guerra condenada a um mundo novo (Kisses) ou até mesmo ao papel da sociedade japonesa numa escala americanizada de pensar (Black Test Car ou Giants and Toys) , tem tendência a caír ora no campo do melodrama nipónico (Seisaku's Wife Irezumi), ora no psicologismo de personagens desconexas, entre dilemas variados, que resultam sempre em actos exacerbados, diga-se mesmo, loucura (veja-se Manji, Blind Beast).
Para não alongar mais a "pequena apresentação", que não é mais do que uma achega, só apontar a presença já referida da sublime Ayako Wakao, sua diva presente em muitos dos seus trabalhos.
Um realizador para descobrir!

Abraço!

Shinobi disse...

Olá Miguel!

Pensaste que eu voltaria daqui a um mês, e pessoalmente eu também! Se não tivesse perdido o amor a algum dinheiro, acredita que muito provavelmente era isso que teria acontecido!

Quanto à excelente dissertação que puseste aqui, só tenho a agradecer a mesma pois valoriza imenso o conteúdo do meu humilde espaço! Como já tive a oportunidade de referir anteriormente, a minha tendência cinematográfica não se reconduz ao período da cinematografia japonesa no qual este realizador constitui um dos grandes expoentes!

No entanto, tenho de reconhecer que depois das defesas brilhantes expostas primeiro pelo tf10 e depois por ti, terei que dar o braço a torcer e virar um pouco a minha atenção para Masumura e afins!

Grande abraço!