"MY ASIAN MOVIES"マイアジアンムービース - UM BLOGUE MADEIRENSE DEDICADO AO CINEMA ASIÁTICO E AFINS!!!

sábado, novembro 22, 2008

Realizador Asiático Preferido - Votação

Apresento-vos mais um realizador asiático, sujeito ao vosso escrutínio no quadro de votações mais abaixo à direita. Não custa relembrar que podem escolher mais do que uma opção, antes de clicarem e submeterem o(s) vosso(s) voto(s). Igualmente podem sugerir outros nomes para serem postos a votação.
Kôji Wakamatsu

Informação

Filmografia enquanto realizadores (caso exista alguma crítica, o título estará assinalado a cor vermelha. Para aceder ao texto , basta clicar):

  1. Oiroke sakusen (1963)
  2. Hageshii onnatachi (1963)
  3. Amai wana (1963)
  4. Shiroi hada no dasshutsu (1964)
  5. Kawaita hada (1964)
  6. Resume of Love Affairs (1964)
  7. Hadaka no kage (1964)
  8. Gyakujo (1964)
  9. Furin no tsugunai (1964)
  10. Ami no aka no onna (1964)
  11. Aku no modae (1964)
  12. Akai hanko (1964)
  13. Mesuinu no kake (1964)
  14. Yuganda kankei (1965)
  15. Yokubo no chi ga shitataru (1965)
  16. Taiyo no heso (1965)
  17. Rikonya kagyo (1965)
  18. Namari no bohyo (1965)
  19. Botoku no wana (1965)
  20. Ai no design (1965)
  21. Affairs Within Walls (1965)
  22. Hikisakareta joji (1966)
  23. Akamaru: The Dark, Wild Yearning (1966)
  24. The Embryo Hunts in Secret (1966)
  25. The Love Robots (1966)
  26. Diary Story of a Japanese Rapist (1967)
  27. Seihanzai (1967)
  28. Ranko (1967)
  29. Nihon boko ankokushi ijosha no chi (1967)
  30. Ami no nakano boko (1967)
  31. Black Narcissus of Lust (1967)
  32. Violated Angels (1967)
  33. A Certain Adultery (1967)
  34. Nikutai no yokkyu (1968)
  35. A Womb to Let (1968)
  36. Fukushûki (1968)
  37. Go, Go Second Time Virgin (1969)
  38. Naked Bullet (1969)
  39. Niku no hyoteki: tobo (1969)
  40. Kongaijoji (1969)
  41. Violent Virgin (1969)
  42. Gendai sei hanzai zekkyo hen: riyu naki boko (1969)
  43. Gendai sei hanzai ankokuhen: aru torima no kokuhaku (1969)
  44. Gendai kosyokuden: teroru no kisetsu (1969)
  45. Seiyûgi (1969)
  46. The Concubines (1969)
  47. Running in Madness, Dying in Love (1969)
  48. Shinjuku mad (1970)
  49. Sex Jack (1970)
  50. Segura magura: shinitai onna (1970)
  51. Nippon boko ankokushi: onju (1970)
  52. Mahiru no boko-geki (1970)
  53. Ai no technique: kamasutra (1970)
  54. Watashi wa nureteiru (1971)
  55. The Red Army/PFLP: Declaration of World War (1971)
  56. Hika (1971)
  57. Sei kazoku (1971)
  58. Sei to ai no joken (1972)
  59. Maruhi joshikosei: kokotsu no arbeit (1972)
  60. Black Beast of Lust (1972)
  61. Gendai Nippon boko ankokushi (1972)
  62. Seibo Kannon daibosatsu (1977)
  63. Nippon gokinsei: nyonin baibai (1977)
  64. Jokei gokinsei hyakunen (1977)
  65. Violent Torture (1978)
  66. 13-nin renzoku bôkôma (1978)
  67. Zannin renzoku gokanna (1979)
  68. Gendai sei hanzai: zenin satsugai (1979)
  69. Gendai sei hanzai: boko kankin ejiki (1979)
  70. Ejiki (1979)
  71. Seishojo gomon (1980)
  72. Misshitsu renzoku boko (1981)
  73. A Pool Without Water (1982)
  74. Sukurappu: aru ai no monogatari (1984)
  75. Matsui Kazuyo no shogeki (1986)
  76. Kiss yori kantan (1989)
  77. Pantsu no ana: mukesode mukenai ichige tachi (1990)
  78. Ware ni utsu yoi ari (1990)
  79. Kiss yori kantan 2: hyoryuhen (1991)
  80. Netorare Sosuke (1992)
  81. Erotic Liaisons (1992)
  82. Singapore Sling (1993)
  83. Endless Waltz (1995)
  84. Asu naki machikado (1997)
  85. Perfect Education 6 (2004)
  86. Cycling Chronicles: Landscapes the Boy Saw (2004)
  87. The Red Army (2007)

6 comentários:

Alquimista Real disse...

Parabéns, está excelente este blog.
E para quando uma lista dos melhores filmes de animação.

Shinobi disse...

Olá Alquimista Real!

Ainda bem que gostaste do blogue. Quanto à tua sugestão, é um caso verdadeiramente a considerar. Vou deixar findar esta votação. e logo penso!

Volta sempre! Abraço!

Miguel Patrício disse...

Cineasta maldito e sempre polémico, Koji Wakamatsu procura no seu cinema "pink" (o sexploitation japonês) consignar um lugar adequado à radicalidade. De todas as suas produções (umas mais outras menos) é sempre uma experiência radical e anarca que subjaz a todas as suas narrativas escatológicas.
Profundamente tocado por um certo Tetsuji Takechi (a saber: que se podia filmar sexo "artisticamente")e depois de uma vida recheada de problemas (com uma vida yakuza que o levara a passar uns tempos na prisão) Wakamatsu filma a poética dos corpos em tensão. Poucas vezes de forma estritamente corpórea, os corpos de Wakamatsu transcendem-se pelo trauma psicanalítico e aparecem sempre em conflito, num mundo irreal, ou melhor, surreal. O conflito que assume uma dimensão total do real (forma política ou ética, são os corpos que se apresentam sempre) ao mesmo tempo transforma-o. Nos primeiros filmes do "Rei do Pink" a claustrofobia dos cenários minimalistas é um elemento importante, não só porque é uma maneira de tornar os defeitos da escassez de meios em virtudes, como é uma pista para o real problema em Wakamatsu: é na escuridão que o corpo se encontra, de ele para com ele. Está-se sempre sozinho neste cinema radicalizante, e o outro não é mais do que mera ilusão ou objecto.
Fascinado, pois, com os assassinos e os violadores, Koji Wakamatsu é também especialista em "finais enigmáticos e etéreos". É normal nas suas produções de 1965-1972 os finais dos filmes nos transportarem para outras dimensões, redentoras ou não, colocando-nos face à barbárie da existência. Melancolia e suicídio, teen-angst, movimentos radicais fora de contexto, o apelo às armas e à revolução (aqui a influência do seu argumentista predilecto, o revolucionário Masao Adachi) todas elas são características do cinema de Wakamatsu. Nunca ninguém usara em cinema a sexualidade ou a bestialidade para dissecar integralmente o género Humano. O erotismo aqui não é mais do que essencialismo.
À margem de classificações, ver um Wakamatsu dos anos 60 é hoje uma experiência histórica, e só percebendo no que o género Pink se tornou (mesmo com "Roman-Porno" da Nikkatsu: Kumashiro, Konuma, Sone etc.) nos podemos também esclarecer quanto ao carácter irreversível desse cinema misterioso, preso numa época muito específica, único e maravilhoso. Não hesitaria em classificar Wakamatsu não só como o realizador "Pink" mais importante, como dos mais imperdiveis de todo o movimento da "Nouvelle Vague" Japonesa.

E em 2007 voltou a realizar aquela que parece ser uma nova obra-prima: um olhar retrospectivo desses anos 60 de que falava. Mal posso esperar por "The Red Army".

Top Wakamatsu:
1 - Go,Go Second Time Virgin (1969)
2 - The Embryo Hunts in Secret (1966)
3 - Violated Angels (1967)

Shinobi disse...

Mais um exemplo do grande saber do Miguel! Agora só falta o nosso amigo tf10 :)))!

Grande abraço!

tf10 disse...

Waka o "fora da lei" não será certamente dos realizadores mais facilmente assimiláveis, sobretudo por espectadores menos familiarizados com os universos que ele tão bem explora. A mistura explosiva, anárquica e muitas vezes levada ao extremo de sexo, violência e politica de muitos dos seus filmes daquelas duas décadas (60/70) fervilhantes, é ainda um mundo demasiado melindroso e obscuro para a esmagadora maioria. E ainda mais quando estas eram produções indigentes e por isso aparentemente miseráveis mas que ao contrário do que se poderia pensar à partida, não o impediam de muitas vezes e sobretudo nas suas mais emblemáticas obras elevar a fasquia na sua vertente artistica. E se a isto lhe juntarmos a já referida dimensão politica - com todo o tipo de reflexões que ela pode suscitar - cada vez mais presente nos seus filmes, percebemos a sua importância no cinema nipónico daquela época! Mesmo depois dessa sua época de ouro e ainda que não exista disponivel muito material é possivel pelo menos ter dois dos melhores exemplos fora desse periodo onde ainda mostra a sua raça em coisas como o onirico e desconcertante "A Pool Without Water" ou a sua mais recente reflexão em estado verdadeiramente puro no "Cycling Chronicles: Landscapes the Boy Saw" salpicada pelo tempestuoso e genial compositor japonês Kazuki Tomokawa e que é um bom prenúncio para o seu mais recente trabalho!
Para quem quiser conhecer as aventuras e desventuras do Waka tenho numa das minhas contas uma bela conversa com o próprio.

http://www.dailymotion.com/iskander80
(está na 2ª página dos videos)

abraço!

Shinobi disse...

Ora está aqui o importante complemento mencionado no meu comentário anterior e com direito a vídeo e tudo :) !

Abraço!